Você pensa em se tornar uma boa pessoa e com isso melhorar sua relação com os amigos, parentes e crush? Faz essa promessa todos os anos, mas nunca cumpre pois, deixa o estresse dominar suas atitudes? Se ligue nesse texto e descubra dicas de como ser uma boa pessoa de verdade!

É fácil exigir que os políticos sejam éticos e administrem bem o dinheiro do povo, cobrar atitudes sem preconceito e gestos mais humanos, essas são algumas das práticas que exigimos dos outros, mas será que seguimos o que defendemos? Uhmm?

Nesse artigo vamos abordar as micro corrupções rotineiras e atitudes corruptivas do dia a dia e os preconceitos que podem levar qualquer pessoa a cometer verdadeiras canalhices contra o próximo. Você vai aprender também como ajudar o outro por meio de ações de voluntariado ou causas sociais.

Quer saber então se é mesmo boa gente ou um anjinho enrustido? Continue lendo esse artigo e conheça agora reflexões que vão jogar luz ou lenha na fogueira.

Quais as características de uma boa pessoa?

Vivemos em mundo de desconfianças, a maioria das pessoas procura amizades por interesse para ter algum tipo de benefício. A busca desenfreada por visibilidade enaltecida pelas redes sociais e a necessidade absurda em exibir tudo que se faz, com quem e quando, também colabora com isso. É claro que a cultura brasileira também é bastante peculiar nesse sentido e investe muito mais tempo em discutir questões de gênero e pseudo políticas partidárias do que desenvolvimento real, propriamente dito. Somos reis em exportar mentes brilhantes para países desenvolvidos.

Mesmo vivendo nesse mundo mergulhado em corrupção e pessoas interesseiras, devemos fugir do “jeitinho brasileiro” e agir de maneira que os nossos atos sejam dignos de orgulho.

Algumas atitudes podem fazer com que as pessoas o vejam com bons olhos! Dar aquela ajudinha para a vizinha ou vizinho que está chegando com as sacolas de compras do supermercado ou aquela carona para o colega no final do expediente já é um bom começo!

Você é uma pessoa que não quer levar vantagem em tudo, respeita o direito do outro e mesmo quando é roubado por algum bandido, ainda assim, prefere pagar o preço real daquele produto, certo? Afinal não quer financiar o mercado do roubo mesmo te custando o triplo quando comprar na loja e exigir nota fiscal. Enfim, não engana ou prejudica as pessoas, não suborna e nem burla as leis de trânsito. Nesse caso está no caminho certo mesmo para se tornar um ser “iluminado”, senão minimamente decente e ético.

Não seja preconceituoso

Todos nós somos preconceituosos em alguma medida, mas podemos evitar propagar gestos, atitudes ou frases feitas que disseminam ideias que geram ódio.

O preconceito é uma ideia preconcebida que temos de algo ou alguém que não conhecemos. Por isso, devemos ficar atentos ao que fazemos e falamos, pois, a maioria das pessoas têm discursos preconceituoso e não percebem.

Muitas vezes o preconceito nasce nas escolas, fato comprovado pela pesquisa, Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a pedido do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O preconceito com relação aos portadores de necessidades especiais domina a pesquisa com a adesão de 96,5%, já 94,2% têm preconceito étnico-racial, 93,5% têm preconceito de gênero, 91% de geração (ou seja, contra os mais idosos), 87,5% de classe social (socioeconômico), 87,3% de orientação sexual e 75,95% têm preconceito territorial. É fundamental conhecer os dados para tomar decisões, porém perder tempo precioso batendo boca em redes sociais não leva ninguém a lugar nenhum. 

Não seja racista

Saiba que a maioria das pessoas são racistas sem mesmo ter consciência disso. Quando você desconfia do rapaz negro que vai cruzar com você na rua e segura a bolsa, quando chama a sua ajudante do lar de “doméstica” (o termo refere-se a expressão domesticar, utilizada para os escravizados).

Ou ainda quando chama uma mulher negra de “mulata” (o termo se refere ao animal mula, pois assim como ao animal o termo faz referência a mestiçagem) ou diz que ela tem a “cor do pecado”, que faz referência a mulher destinada apenas ao prazer.

A injúria racial consiste em usar termos pejorativos para agredir pessoas afrodescendentes, como chamar de “macaco” ou qualquer outra expressão que tenha como objetivo ferir a honra da pessoa. É crime e pode dar uma pena de até oito anos, no entanto, permite pagamento de fiança.

O racismo é um crime mais grave, pois é inafiançável e imprescritível, ele impede que pessoa exerça um direito, por exemplo, uma criança ser recusada em uma escola por ser negra ou de outra etnia, um trabalhador não ser admitido por esse mesmo motivo relacionado a cor de sua pele.

Pense muito bem antes de fazer piada com o alguém, seja pessoalmente ou nas redes sociais pois, a brincadeira pode virar caso de polícia.

O crime de racismo foi instituído na Constituição de 1988, mas a regulamentação só aconteceu em 1989 com a Lei CAÓ.

Não seja corrupto

Se engana quem pensa que corrupção está distante do nosso dia a dia e que ela só ocorre em cargos públicos e políticos. Muitos atos de corrupção estão em nosso cotidiano.

Lembra daquele amigo que foi autuado pelo agente de trânsito ou policial e tentou reverter a situação oferecendo grana para não ser multado? Então, isso é crime e essa prática o torna um criminoso.

Ou ainda aquele outro amigo que não obedece às placas e leis de trânsito, estaciona em vaga preferencial, não para nos sinais vermelhos, não respeita os pedestres e conduz agressivamente, colocando em risco as vidas de outras pessoas. Criminoso também.

Passar na frente do outro, seja no trânsito, no banco, no hospital, em lojas ou na vida, também é uma atitude de corrupção pois, você está buscando uma vantagem sem ter direito a ela, salvo exceções de emergência médica… óbvio. Ainda que o bom senso em tais circunstâncias seja por vezes um ato falho.

Então meu caro, o velho jeitinho brasileiro não está com nada, ele é a prova clara de que a corrupção já está impregnada e forjada em nosso cotidiano, e precisamos mudar isso! Afinal, ser honesto não poder ser, ser um otário.

Seja sincero, mas não sincericida

Ser sincero é visto como uma qualidade que torna a pessoa autêntica ao dizer a verdade, um traço de caráter que pode ser positivo ou negativo, dependendo do contexto.

Ao ser sincero devemos ter cuidado para não ser grosseiro, devemos dizer a verdade sem magoar as pessoas. Ter sensibilidade para avaliar a situação e a pessoa antes de falar, são elementos fundamentais para usar a sinceridade para ajudar as pessoas.

O termo “sincericídio” que usa a junção das palavras sinceridade e suicídio é um neologismo que significa o ato de agredir o outro com o excesso de sinceridade em situações inadequadas. E tem muita gente aí que sente algum prazer nisso. Ah, tem!

Situações de sincericídio, por exemplo, são quando amigos ou casais se agridem dizendo que estão gordos, bebem demais, comem demais entre outras coisas.

Na verdade estão se lixando em tentar ajudar ou resolver os excessos. Nesse caso é agressão pura e gratuita mesmo.

Seja empático

Saber se doar e se colocar no lugar do outro são características de pessoas empáticas. Devemos agir com gentileza, sempre que possível e nosso humor permitir, e isso vale para conhecidos e estranhos.

Você pode procurar ajudar os outros de diversas formas, doando suas roupas e sapatos que não usa mais, doando alimentos para quem precisa, sendo voluntário em alguma instituição de caridade ou organização não governamental.

Uma outra opção é investir na experiência do turismo social, que tem como objetivo envolver o turista em atividades de cunho pedagógico ou humanitário, com benefícios sociais e educativos durante a viagem, além de ajudar as pessoas da localidade anfitriã.

Ser empático é ter a sensibilidade de entender o que o outro está vivendo e compreender suas necessidades e carências. Pode ser falta de coisas materiais, mas pode ser falta de afeto, um exemplo são os idosos em casas de repouso que não recebem visitas de parentes e que adorariam conversar e contar suas histórias.

Se você gostou desse texto e lembro de outra micro corrupção que viu recentemente, bora comentar e compartilhar! Colaborando assim vamos mudar a rota atual para um mundo mais humano e igualitário. Compartilhe esse texto em suas redes, né? 

foto: Meg Kannan