Sustentabilidade é a palavra da moda, porém, o assunto é sério e requer reflexões. Afinal de contas, por que esse tema tem se tornado tão comum na atualidade? Qual é a sua real importância? De onde surgiu essa necessidade ferrenha de incutir a todo custo na cabeça das pessoas a ideia de preservação do meio em que vivemos?

Por detrás dessas respostas, a infeliz realidade de como fomos e somos, simultaneamente, malfeitores e vítimas de nossas próprias ações. Já parou para pensar no assunto? Se não, esta é a hora!

Por que refletir sobre sustentabilidade?

Se por um lado é motivo de orgulho analisarmos o quanto evoluímos e demos um salto rumo às inovações tecnológicas antes inimagináveis, por outro, todo esse progresso parece ter nos custado um preço mais alto do que nossas próprias invenções podem pagar. A verdade é que nunca pesamos nossos atos, apenas seguimos vivendo, produzindo. E como em um piscar de olhos, tudo muda o tempo todo.

A novidade de ontem é o descartável de hoje — e entre em inovações e atualizações, não percebemos que vivemos em um planeta abundante em água, mas ameaçado pela sua falta em condição potável. Uma Terra antes verde, agora, com grande parte das suas áreas desmatadas para a construção de edificações que podem ser vistas do espaço. Um mundo onde há carros e jatos de última geração, mas que começa a sufocar pela impureza que esses mesmos equipamentos “high-tech” lançam no ar.

Eis um importante questionamento: quais são as nossas verdadeiras prioridades? De repente, acordamos e percebemos a importância de falar sobre sustentabilidade. Será que ainda há esperanças?    

Afinal, o que é sustentabilidade? Existe um único tipo?

Muito além do que é ensinado levianamente em grande parte das escolas, a sustentabilidade não se refere apenas à preservação do meio ambiente. Na realidade, apesar da questão do cuidar ser importante, é preciso mais do que plantar uma árvore para um projeto escolar ou ensinar a não descartar lixo em local errado. É necessário abrir os olhos de todos os cidadãos e falar sobre o que realmente importa.

Sustentabilidade, então, é o agir de forma pensada. É pesar consequências e refletir sobre o futuro — seu e das próximas gerações. É o uso consciente dos recursos naturais à nossa disposição. É cuidar do próximo, da fauna e da flora, além de parar e analisar sobre como nossas atitudes podem gerar grandes consequências.

É ponderar: “se eu trocar meu celular hoje, com 6 meses de uso, por um de design mais legal, o que acontecerá com o antigo?”. Ele ficará guardado no fundo de uma gaveta deteriorando até o ponto de ser descartado e gerar mais resíduos de difícil decomposição? “Ah, mas é somente um!”… a verdade é que, de um em um, chegamos ao cenário atual.

Cenário esse que a própria Organização das Nações Unidas (ONU) vem alertando há tempos em suas Conferências sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Precisamos aprender a deter modelos insustentáveis de crescimento econômico e redirecionar esforços para a preservação e/ou renovação dos recursos ambientais dos quais dependemos.

Para tanto, entramos em outro importante assunto. Quais tipos de sustentabilidade você conhece? É comum que grande parcela da população associe o tema apenas ao contexto ambiental, desconsiderando as tantas outras formas que devem ser praticadas.

De forma precisa, há três tipos imprescindíveis e que se integram formando o chamado tripé da sustentabilidade.

Sustentabilidade ambiental

Como já dito acima, refere-se ao conceito mais conhecido pela maioria. Nesse contexto, temos a necessidade de trabalhar a questão da conservação dos recursos naturais disponíveis para evitar a total escassez e os chamados impactos ambientais negativos.

Não é preciso ir longe para saber que nossa imprudência no uso de tais recursos, até então, já cobra um alto valor. Exemplo simples, porém, não único, é o efeito estufa — responsável pelo aumento da temperatura nos últimos anos, derretimento das geleiras no Ártico, inundações, erosões e a morte de milhares de humanos e animais. Nossas vidas e a das novas gerações também estão ameaçadas. 

Sustentabilidade social

Outro pilar importante nesse tripé sustentável é a questão social. Aqui, temos um conjunto de ações que visam a melhora da qualidade de vida de toda a população mundial, a redução das desigualdades e a universalização do acesso aos direitos e serviços básicos que todos os indivíduos têm direito.

Trata-se, basicamente, de dar as devidas condições para que todos estejam em um meio civilizado e humanizado. Certamente, essa é uma meta que, para ser cumprida, exige esforços e uma grande mudança de mentalidade de todas as partes envolvidas.    

Sustentabilidade econômica

E a economia, será que também tem envolvimento com a sustentabilidade? Com certeza! Na realidade, conforme já mencionado, esses são pilares que coexistem entre si. Logo, fatores como pobreza, estruturas econômicas divergentes e padrões insustentáveis de produção e consumo dentro de uma sociedade são vilões que corroboram para o detrimento das ações ambientais e, consequentemente, das sociais.

Em um modelo considerado sustentável, temos o setor da economia trabalhando para o melhor gerenciamento dos recursos naturais com foco no desenvolvimento humano igualitário. Tarefa difícil, mas possível nas mãos certas!

Além dos citados acima, há também outros tipos de sustentabilidade importantes e que devem ser lembrados:

Sustentabilidade política

No modelo ideal de gestão, os diferentes governos devem trabalhar em busca de soluções viáveis para a preservação em massa da população e do meio ambiente. Nesse aspecto, é válido lembrar que todos têm uma importante participação na sustentabilidade política, já que vivemos em um país democrático e contamos com a escolha de eleger candidatos com projetos que visem essa demanda.  

Sustentabilidade empresarial

As empresas também têm um papel imprescindível quando o assunto é sustentabilidade. Isso porque, sejam elas privadas ou não, são detentoras de recursos capazes de promover o bem maior e influenciar positivamente todos os ramos do tripé, colaborando para a construção de um mundo melhor.

Dessa forma, é responsabilidade de todos nós, enquanto consumidores, valorizar as instituições engajadas com questões sustentáveis e focadas em encontrar soluções para tornar o mercado mais solidário e humano. Soou familiar?

Qual é a importância da sustentabilidade para o Brasil e o mundo?

O Brasil tem uma área estimada em 8.516.000 km² — com 60,7% desse território equivalente a florestas —, 12% de toda água doce do planeta e a maior floresta tropical do mundo, a Amazônica, conhecida como o “Pulmão do Planeta”.

Visto sua importância ecológica, não é de se espantar que falar sobre sustentabilidade é de grande interesse não apenas para o país, mas para o mundo. Sendo donos de tamanha riqueza, deveríamos ser exemplos de preservação, não é mesmo? Entretanto, essa, infelizmente, não é a realidade que nos representa.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), um estudo realizado em 2015 apontou que mais de 15% de toda a área total da Amazônia já havia sido desmatada. Desde então, algumas medidas protetivas foram rascunhadas, mas nenhuma até agora com resultados positivos oficialmente publicados. Esse alarmante dado não é o único.

O Brasil também ocupa o 7° lugar no ranking dos maiores poluidores do planeta, o que nos coloca em uma situação bastante complicada no que diz respeito à meta de redução de emissão de gases poluentes até o ano de 2020, conforme o Acordo de Paris.

Do mesmo modo, segundo o estudo mais atual publicado pelo Instituto Trata Brasil, a população brasileira desperdiçou, somente em 2016, aproximadamente 38% de toda a água potável nos sistemas de distribuição, gerando um deficit de mais de R$10 bilhões de reais. Esse desperdício é decorrente de vazamentos nas tubulações, mau uso, roubos e fraudes — o que mais uma vez nos leva à necessidade de questionarmos nossas próprias atitudes

Todavia, se você acha que somos os únicos a agir de forma autodestrutiva, não se engane. Temos muito, mas não temos tudo. Não é à toa que grandes organizações não governamentais, bem como as próprias convenções entre países, buscam incansavelmente medidas de controlar os malefícios já causados e os que ainda causamos ao nosso planeta.

E então, qual é a importância da sustentabilidade para o Brasil e o mundo? É verdade que o tema surgiu da necessidade de corrigirmos nossos próprios erros. Isso é inegável. Logo, a resposta da pergunta acima é bem simples: encontrar medidas sustentáveis é uma questão de sobrevivência.

Mais do que nunca, precisamos encontrar formas de preservar aquilo que nos mantém vivos. Devemos nos unir por um bem maior: nossas vidas e a das próximas gerações, mudando de atitude e sendo pessoas melhores. 

Como a sustentabilidade impacta o mercado de trabalho?

Eis uma parte interessante no trato desse assunto tão fundamental que é sustentabilidade. Muitas pessoas se enganam ao pensar que o progresso do país ou do mundo estagnará pelo fato de termos que proteger o nosso planeta. Isso, contudo, não é real e tampouco tal prerrogativa afeta negativamente o mercado de trabalho.

Na verdade, a urgência de sermos sustentáveis abriu portas e oportunidades para todos aqueles que entenderam desde cedo a importância do assunto e se dedicaram a esse bem maior. Logo, não demorou muito até que o problema surgisse como uma necessidade real e exigisse que diversos ramos empresariais agissem em prol dessa nova demanda.

Hoje, empresas de todos os setores já têm funcionários totalmente comprometidos com a função de enquadrar a instituição dentro das leis ambientais e contribuir de alguma forma para a ajudar o planeta.

Algumas indústrias, por outro lado, vêm apostando um pouco mais alto e incentivando também a mudança de comportamento — como a própria indústria do turismo, capaz de nos dar exemplos formidáveis de como agir de forma sustentável, solidária e, ainda, manter a lucratividade e o sucesso dos negócios.

Por exemplo, você sabia que é possível aproveitar suas férias para conhecer novos lugares e ainda fazer um trabalho voluntário local? Há companhias sérias comprometidas com essa missão de ajudar seus clientes em busca de seus objetivos e reduzir as diferenças econômicas em prol da sustentabilidade social.

Essa categoria se enquadra no turismo sustentável e tem atraído muitos viajantes que já entendem a importância da prática para o planeta. E você, já pensou em tirar um tempinho para fazer a diferença na vida de alguém e ainda conhecer uma nova cultura? Que tal apostar nessa ideia?

O que é sustentabilidade no Brasil?

Como falado acima, o Brasil possui diversas riquezas naturais e está na mira das ações sustentáveis nacionais e internacionais. Apesar de termos muito ainda para conquistar e aprender sobre sustentabilidade, há alguns feitos positivos que devemos enaltecer. Por exemplo, você sabia que, segundo a ONU, o nosso país é o 5° maior investidor em energias renováveis do mundo?   

Pois, saiba que o governo realizou um alto investimento nos aerogeradores, equipamentos que permitem a produção de energia elétrica através do vento. Também somos destaque na produção de energia solar e no investimento em projetos que visam a obtenção de energia a partir da biomassa, ou seja, por meio do lixo orgânico.

Outro bom exemplo a ser seguido é o Projeto Cidades Sustentáveis, iniciativa que oferece uma:

plataforma que funciona como uma agenda para a sustentabilidade, incorporando de maneira integrada as dimensões social, ambiental, econômica, política e cultural e abordando as diferentes áreas da gestão pública.

Assim, municípios que buscam otimizar e incentivar práticas para a proteção do meio ambiente e demais ações sustentáveis têm se destacado e dado boas lições. Como exemplo, a cidade de Curitiba (PR) deu uma verdadeira aula com a inserção de projetos de reciclagem de lixo — que hoje chega a mais de 70% de todo o resíduo recolhido. 

Isso significa que apenas uma pequena quantidade de lixo segue sem uso para os lixões ou incineração, reduzindo drasticamente a contaminação dos lençóis freáticos e atmosfera.

Outro projeto de sucesso da cidade é a inclusão de ciclovias e mais vias de ônibus, o que incentivou não só o uso do transporte público, como a própria prática de atividades físicas. Como retorno, houve uma diminuição de aproximadamente 30% do uso de automóveis na capital paranaense. Que belo exemplo, não?

Um grande indicador de que estamos no caminho certo são os resultados obtidos pela UniEthos, companhia dedicada ao planejamento de estratégias sustentáveis e incorporação nas gestões empresariais.

Conforme uma pesquisa realizada pela Instituição em 2013, com o tema “Estratégias Empresariais para a Sustentabilidade no Brasil”, mais de 69% das empresas nacionais entrevistadas já reconheciam a necessidade de trabalhar o quesito sustentabilidade dentro de seus estabelecimentos. Já é um primeiro passo!

No entanto, apesar das boas iniciativas, o Brasil ainda precisa melhorar — e muito — suas leis e projetos acerca do assunto. Quem assegura isso é a Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, o SDSN, que divulgou em julho de 2018 um ranking dos países mais sustentáveis do mundo. Nele, foram analisados 156 países e o cumprimento de cada uma das metas estipuladas pelo ODS’s, ou Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável.

O resultado mostra um índice de pontuação que vai de 0 a 100 e leva em consideração diversos fatores, como redução de desigualdade, inovações tecnológicas, paz, justiça, entre outros. Nesse contexto, o Brasil ocupou o 56° lugar, com 69,7 pontos e desempenhos preocupantes em vários quesitos. Logo, é importante nos lembrarmos que ainda há um longo caminho a ser percorrido — e nós, como cidadãos do mundo, somos protagonistas nessa luta. 

O que é sustentabilidade social e ambiental?

Acima, falamos rapidamente sobre os conceitos de sustentabilidade social e ambiental. Mas, será que você consegue enxergar a relação entre ambos?

Algumas pessoas tardam a compreender essa associação, e isso é bastante comum. Na verdade, a “culpa” desse problema é justamente a falta do entendimento real da situação em que vivemos, ou seja, da visão macro do que realmente está acontecendo com o mundo. Que tal sermos mais práticos? Hoje, a Suécia é considerada um dos países que mais investe em sustentabilidade no mundo, enquanto o Haiti tem um dos piores resultados. Então, usaremos ambos como exemplos práticos para compreender essa relação. Vamos aos fatos!

Saúde, educação e renda — esses são os três quesitos que definem o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de um país. Segundo o ranking mundial, enquanto a Suécia tem IDH de 0,907, o Haiti tem um valor de 0,483. Será que isso já diz algo? Somente com esses simples dados já podemos compreender que, quanto mais desenvolvido for um país, mais ferramentas ele tem para criar medidas sustentáveis. 

Nesse sentido, um país que consegue fornecer educação decente aos seus cidadãos estará investindo em mentes bem preparadas e capazes de produzir mais. Um país que tem uma boa saúde garante que esses indivíduos estejam bem durante suas jornadas. Como consequência, pessoas que têm à disposição tal qualidade de vida produzirão mais, diminuindo as diferenças socioeconômicas entre os membros da sociedade. 

Quais são os principais exemplos de sustentabilidade?

Bons exemplos existem aos montes, logo, não é nada difícil termos em quem ou no que nos espelhar. Você pode se engajar em causas sociais, como trabalhos com pessoas desabrigadas, especiais ou enfermas e animais abandonados ou em extinção. Também pode estimular projetos sociais para jovens, um excelente caminho para a formação de cidadãos de bem.

Contudo, se você precisa de um pouco mais para colocar em prática ideias sustentáveis e contribuir com um mundo melhor, aqui vão outras sugestões de programas e projetos:

Turismo sustentável

Como já dissemos, há algumas empresas que trabalham fornecendo seus produtos ao mesmo tempo que estimulam projetos sustentáveis. No turismo, temos bons exemplos de como uma viagem de lazer pode se tornar tão prazerosa quanto solidária.

Você sabia que em Foz do Iguaçu-PR, além de todas as belezas naturais da tríplice fronteira, é possível dedicar algum tempo ajudando nos tratos de animais silvestres no Refúgio Biológico Bela Vista? Já pensou que oportunidade incrível seria viver essa experiência e ainda praticar o bem?

Da mesma forma, muitos outros lugares fornecem esses tipos de atividades vinculadas, tais como Serra da Mantiqueira-SP, Serra da Ibiapaba-CE e Jalapão-TO. Agora é com você: escolha o seu destino e mude seu país! 

Agora, se o que você busca é se aventurar por culturas estrangeiras, também existem países que recebem de braços abertos todos os turistas que tenham a intenção de colaborar com os projetos locais desenvolvidos. A Rússia, por exemplo, é um roteiro bastante convidativo para quem procura esse tipo de viagem.  

WWF 

Você com certeza já deve ter ouvido falar nessa grande ONG internacional, não é mesmo? A WWF atua hoje em centenas de países, contribuindo para a conservação da natureza, preservação da fauna e da flora e harmonização entre a atividade humana e o meio. A organização conta com a ajuda de colaboradores e voluntários para que sua nobre missão possa continuar. E então, o que você acha?

Greenpeace 

Greenpeace é outra ONG com os mesmos ideais sustentáveis que a WWF. Ele atua em mais de 41 países na promoção de conhecimento, conscientização pública, mobilizações sociais e luta por diversas causas contra crimes ambientais. Igualmente, você pode ser um colaborador ou membro voluntário das muitas missões dessa equipe de ouro.  

Festas Sustentáveis

Outro exemplo a ser seguido e apoiado são os eventos totalmente planejados em prol do respeito ao próximo e ao meio. Logo, se a educação vem de casa, que tal começarmos disseminando ideias de como planejar e curtir festas sustentáveis? O mundo agradece!

Há muitas outras entidades, governamentais ou não, engajadas com a missão de salvar o nosso querido planeta. Depende só de você tomar esse primeiro e importante passo. “Seja a mudança que você quer ver”, pois, a palavra pode até ensinar, mas somente o exemplo arrasta. 

Finalmente, é preciso entender que estamos em uma posição onde somos absolutamente imprescindíveis para a manutenção e recuperação do planeta. Se fomos antes responsáveis por parte de sua destruição, de forma bem controversa, hoje, somos peças-chave para retirá-lo dessa situação de risco. Aqui, uma coisa é certa: é preciso muito mais do que simplesmente ver o meio ambiente como alvo único dessas ações.

Respeito ao próximo e ao meio, solidariedade, compaixão e empatia são fundamentais para o exercício de nossas habilidades como seres humanos. É hora de refletirmos sobre o assunto, considerarmos nossas falhas, corrigi-las e sermos humanos no mais profundo significado da palavra.

Para tal, um caminho longo e difícil em busca do autoconhecimento se faz necessário. Assim como já nos dizia a máxima de Delfos, talvez seja essa uma das mais complexas tarefas do homem: “conhece-te a ti mesmo”. Trata-se da resposta para alcançarmos o mundo que queremos, no qual a sustentabilidade seja a preceptora de nossas ações.

Se você gostou desta matéria e está interessado em descobrir formas de ajudar a mudar o mundo, não deixe de entrar em contato conosco. Nossa equipe ficará muito feliz em ser parte dessa sua nobre missão. Conte conosco e até breve!