Ajudar o próximo é o melhor remédio para sentirmos que a nossa vida tem, de fato, um propósito. Em uma sociedade egoísta e imediatista como a que vivemos, ainda existem pessoas que se sentem vazias, e, para preencher esse espaço, recorrem a diferentes tipos de trabalho voluntário.

Muitas vezes, não basta fazer uma doação em dinheiro ou insumos: é gratificante poder doar parte do seu tempo e do que você sabe fazer de melhor para pessoas que não tiveram as mesmas oportunidades. Muitos até têm essa consciência, mas ficam perdidos, sem saber de que forma podem ajudar o próximo.

O ideal é que você busque no voluntariado uma atividade que seja prazerosa e que combine com o seu estilo de vida. E não desanime se você está com dificuldades em encontrar essa ocupação: só o fato de querer fazer o bem já é meio caminho andado para colocar essa vontade em prática.

Além de ser recompensador poder ajudar o próximo de alguma forma, os voluntários adoecem menos e, quando ocorre, permanecem internados por menos tempo — isso é o que diz uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard. A explicação seria que enxergar os problemas alheios cria uma consciência maior em relação a cuidar da própria saúde e fazer exames preventivos. 

Pensando em ajudá-lo a encontrar o trabalho voluntário que mais combina com você, separamos abaixo uma listagem com algumas opções. É possível entrar de forma presencial, à distância ou online. Confira!

Principais tipos de trabalho voluntário

Ajudar os idosos

Com o aumento da longevidade saudável, os idosos estão vivendo cada vez mais lúcidos e por mais anos. Apesar disso, devido a grande correria do dia a dia, muitos acabam sendo colocados por seus familiares em casas de repouso, asilos ou abrigos, e recebem poucas visitas.

Grande parte dos idosos nessa situação pode se sentir abandonada e, por isso, o voluntariado nessa área é tão importante. Afinal, qualquer um pode ajudar um idoso, basta querer. Você já pensou em ensinar alguma habilidade sua? Se você toca violão, piano ou flauta, pode levar música ao asilo ou ensiná-los a dançar, pedalar, e exercitar a memória. Enfim, são inúmeras possibilidades e projetos para não deixar os idosos sozinhos e oferecer um pouco de carinho e atenção a eles.

Lembre-se que aprender coisas novas faz com que o ser humano mantenha uma chama acessa. Todos gostam de vivenciar o novo, e a cada momento que fazemos alguma coisa pela primeira vez, o cérebro trabalha e dispara uma sensação de vigor. Se você se interessou por esse voluntariado, conheça dois projetos bacanas que separamos para você.

O primeiro programa é o Programa Velho Amigo, que desempenha diversos trabalhos com esse público. Além de exames e tratamentos médicos, você pode ser um voluntário emprestando seus ouvidos a essas pessoas. Nesse projeto, as histórias contadas por eles são levadas a crianças em hospitais, e as mesmas fazem um desenho ou uma poesia, que é entregue ao idoso.

Outro projeto legal e que pode ser realizado por todas as pessoas é o Flor Gentil, que consiste em recolher flores que sobram em eventos e festas e montar pequenos buquês, que serão entregues aos idosos. Nesse caso, você pode contribuir atuando na triagem e entrega das flores, doando-as ou até mesmo oferecendo uma quantia em dinheiro para ajudar a bancar os custos fixos do programa.

Cuidar e auxiliar os doentes

Uma enfermidade não traz somente custos com remédios e tratamentos: com ela, também vem uma grande dose de insegurança e fragilidade emocional. Quando se pensa em voluntariado para doentes, as crianças são o público mais atendido. Diversos hospitais dispõem de um espaço para que os voluntários possam realizar brincadeiras, desenhos, atividades e trazer um pouco de alegria a cada um dos pequenos.

Quando eles estão internados, não se trata apenas da dor física: a incerteza do amanhã e o fato de ter que ficar “presa” a uma cama de hospital enquanto as outras crianças correm livres lá fora causam grande sofrimento. Crianças com câncer costumam permanecer por horas dentro do hospital, e, por isso, existem muitos projetos para atendê-las.

GRAAC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer) trabalha com uma equipe de voluntários que busca levar um pouco de alegria a esses jovens. Na mesma linha, atua a ONG Viva e Deixe Viver, que leva um pouco de cultura e alegria por meio de histórias contadas às crianças e adolescentes em seus leitos nos hospitais.

Mas não são apenas as crianças os doentes que necessitam de atenção e carinho: todas as pessoas que se encontram nessa situação precisam receber um pouco de conforto, alegria e distração. Muitas vezes, os adultos, por entenderem a situação de uma forma mais clara, necessitam de mais de atenção dos que os pequenos. Levar algo diferente ao hospital, que faça o paciente tirar a doença da cabeça — nem que seja por um pequeno tempo —, é gratificante!

Amparar os animais ou as pessoas por meio deles

Para aqueles apaixonados por animais, existem muitas oportunidades de voluntariado com eles. Você pode resgatar animais em situação de risco, reintroduzir na natureza e habitats naturais aqueles que são encontrados em locais não apropriados ou cuidar dos que estão esperando por adoção.

No projeto Cãominhada, por exemplo, você pode cuidar de cães que ficam abrigados, enquanto esperam por uma adoção. Até isso acontecer, diversos voluntários se reúnem todos os domingos para levar os animais para passear. Essa socialização dos cães é muito importante para que eles sejam mais amigáveis e aumente as chances de serem adotados e tenham um lar.

E caso você tenha um cãozinho em casa, ele pode se tornar um voluntário junto com você no projeto Patas Therapeutas. Assim que você e o seu pet se inscreverem, passarão por um treinamento que possibilitará visitarem juntos hospitais e asilos, levando um pouco de conforto e esperança àqueles que padecem de enfermidade e solidão.

Ser voluntário sem sair de casa

Há pessoas que desejam ser voluntárias, mas não encontram tempo na agenda para isso. Se esse for o seu caso, existem entidades — como o Hospital das Clínicas de São Paulo e o Projeto Médicos Sem Fronteiras — que sempre precisam de doações e voluntários para manter seus propósitos.

Uma forma de contribuir é atuando na parte de comunicação e redes sociais dessas instituições, fazendo campanhas para arrecadar donativos e conseguir voluntários para desempenhar os trabalhos necessários.

Basta ter um computador conectado à internet e um pouquinho só de tempo, e você poderá atuar  não só nesses locais que citamos, mas em quaisquer outras organizações. Basta entrar em contato e verificar quais são as reais necessidades! Boa parte delas precisa de uma mãozinha com marketing e comunicação.

Fazer turismo social

Por meio da Organização Internacional de Turismo Social, é possível conhecer um sistema que agrega trabalho voluntário às suas viagens, o famoso turismo social. Já imaginou curtir as férias e ainda impactar positivamente na vida das pessoas menos favorecidas que vivem no local?

As ações podem estar relacionadas à saúde ou cultura — e você perceberá, enquanto ajuda a comunidade, o quanto tem a aprender com ela. Se você sente que viajar apenas para conhecer restaurantes e pontos turísticos faz com que você continue sentindo um vazio interior, talvez seja a hora de embarcar nessa aventura em sua próxima viagem.

E não se preocupe se você não quer ficar muito tempo viajando: há projetos que podem ser realizados em poucos dias. Existem entidades, como o Sesc, que oferecem opções para viajar nessa modalidade.

Mas atenção! Não vale utilizar o voluntariado apenas para postar fotos na internet e ganhar likes, hein? Lembre-se que as pessoas que você ajudará não são atrações turísticas. São seres humanos passando por dificuldades e, em muitas vezes, se encontram em situações degradantes.

Um voluntariado internacional ou até mesmo em diferentes regiões do Brasil permite conhecer novas culturas e costumes e mostra o quanto o mundo é diferente. Como estamos tão próximos e tão longes ao mesmo tempo, e como as culturas e costumes se misturam e se afastam com frequência. Poder passar por essa experiência e tirar lições positivas é, com certeza, uma grande ação.

Participar de projetos esportivos

Você gosta de esportes? O voluntariado por meio desse tipo de atividade é uma excelente opção para ajudar crianças e adolescentes em situação de risco ou que simplesmente não têm a oportunidade de vivenciar diferentes práticas. A vida das crianças carentes não é fácil, o tráfico de drogas é um cenário próximo a muitas delas, e o esporte é um importante meio de mantê-las afastadas do mundo do crime.

A boa notícia é que diversas comunidades contam com projetos voluntários para levar o esporte para crianças e jovens. E não é apenas futebol; todos os esportes são oferecidos — inclusive, a judoca Rafaela Silva, medalha de ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016 e campeã mundial em 2013, é um exemplo. 

Ela aprendeu o judô no Instituto Reação, que é um projeto social criado em 2003, com o objetivo de promover a inclusão social e o desenvolvimento humano por meio do esporte — ele está presente em 6 locais diferentes e atende mais de mil crianças. 

Dar aula em curso pré-vestibular gratuito

A maior facilidade de acesso às universidades, pelas cotas sociais, mudou a vida de muitas pessoas que podem sonhar com a chance de ter um diploma de curso superior.

No entanto, a grande concorrência e a baixa qualidade de ensino das escolas públicas fazem com que muitos jovens tenham dificuldade de conseguir uma vaga. Para ajudar, existem cursinhos pré-vestibular que oferecem aulas gratuitas. E divulgar iniciativas gratuitas de apoio também ajuda, e muito, quem está à procura de soluções muito baratas. O projeto Geekie é uma ferramenta poderosa de educação para ser promovida por todos.

Além disso, os professores, que normalmente, são bons em alguma área, mas não são necessariamente formados e licenciados nela, são os voluntários que ajudam os jovens a realizar esse sonho. Se você é bom em alguma área da educação, que tal oferecer a oportunidade a esses jovens de obter um diploma e encontrar o seu lugar no mercado de trabalho?

Distribuir alimentos e agasalhos para moradores de rua

Milhares de pessoas vivem nas ruas no Brasil, e os motivos são muitos. Cada uma delas tem uma história de vida que a torna única, e que não cabe a nós julgarmos. O voluntariado para ajudar os moradores de rua é uma ótima maneira de fazer o bem.

Existem alguns voluntariados que distribuem alimentos, agasalhos, colchões e  itens básicos para a sobrevivência. O projeto social Cozinheiros do Bem, localizado em Porto Alegre, distribui marmita completa para os moradores de rua que se abrigam em baixo de três viadutos da capital.

A refeição é um prato completo com arroz, feijão, massa, verdura e carne ou frango, sobremesa e um copo de suco. Ela é servida sempre uma vez na semana, aos sábados ou domingos. Segundo o idealizador do projeto, ele dá certo, pois cada voluntário doa um pouco, e por meio do trabalho de formiguinha, é possível chegar até a outra ponta. O resultado é uma dor amenizada e uma menor sensação de abandono, nem que seja uma vez durante a semana. 

Em São Paulo, capital, temos o Entrega por SP que todo mês reúne voluntários para distribuir itens e alimentos a moradores em situação de rua. O projeto, além de facilitar o processo de diálogo e aproximação entre a população, permite a qualquer um ter uma experiência voluntária, fazer amigos e atuar com propósito. As ações são sempre no período da noite.

Apoiar gestantes

A gestação é um momento único na vida das mulheres, mas também pode ser uma fase ruim. Muitas passam por uma gravidez indesejada, consequência de abuso sexual ou de uma relação violenta. Os projetos sociais como o Centro de Reestruturação Para a Vida (CERVI), têm como objetivo não deixar as mulheres sozinhas nesse momento.

O CERVI surgiu em 2000, e, para ser um voluntário no projeto, basta concordar com os seus valores e missão e estar disposto a acolher as mulheres oferecendo apoio emocional nos momentos delicados, sem julgamento e com total sigilo.

Ensinar trabalhos manuais

Se você é bom em algum trabalho manual, que tal passar suas habilidades adiante? Ensinar as pessoas diferentes trabalhos manuais, como concertar eletrônicos, reformar móveis, costurar, bordar ou criar produtos artesanais, gera oportunidades de emprego e de empreendedorismo. 

Apesar de a tecnologia ter substituído e tirado o espaço de muitos trabalhadores no mercado, alguns serviços manuais só podem ser realizados por seres humanos. Se você gosta de realizar algum tipo de trabalho artesanal, então essa é mais uma oportunidade de voluntariado! Já pensou que satisfação saber que o seu conhecimento transformou a vida de alguém para melhor?

Você sabia que, além de realizar trabalho voluntário em território nacional, é possível colaborar com algumas causas sociais em diversas localidades Brasil afora? Pois é, se você mora em outro país e quer contribuir com um mundo cada vez melhor, saiba que existem diversos projetos disponíveis para serem adotados por turistas e imigrantes.

Confira, a seguir, alguns voluntariados nas áreas ambientais, sociais e animais e comece hoje mesmo a praticar uma boa ação.

Colaborar com causas sociais internacionais

Seja no Brasil ou no exterior, apoiar causas sociais é sempre uma experiência enriquecedora e gratificante. Além de colaborar com pessoas de diversas idades, a atitude faz bem para a alma de quem pratica e para o coração do planeta.

Se você mora ou está de passagem pelo Peru, em Huancayo, é possível auxiliar crianças de 4 a 14 anos a fazer os deveres de casa, por exemplo. A cidade com cerca de 500 mil habitantes necessita de voluntários para contribuir com o desenvolvimento educacional da garotada.

A ideia é que os pequenos sejam atendidos, amados e cuidados no pós-escola, promovendo, assim, sua autoconfiança e aumentando sua autoestima, para que consigam levar a vida de uma maneira muito mais positiva.

Outro projeto importante na América do Sul é realizado pela Fundación Anawin da Colômbia. Com vagas abertas para pessoas interessadas em trabalhar com o público infantil, a instituição procura ajudar crianças de baixa renda por meio da prática de diversas atividades.

Porém, se a sua localização atual é a Costa Rica, a cidade de Cantón de Santo Domingo recebeu um projeto de um grupo de amigos que se uniu para melhorar o dia a dia da comunidade. O objetivo da iniciativa é recrutar voluntários que auxiliem na educação, na construção de uma horta comunitária e demais ações para ajudar no desenvolvimento do município.

Contribuir com a preservação do meio ambiente

Uma das principais organizações não governamentais de ambiente, o Greenpeace, promove diversas campanhas pelo mundo todo, que consistem na investigação, exposição e conferência a partir das demandas ambientais dos diversos países em que atuam.

Para colaborar com a fundação, é preciso fazer parte do Greenwire. Pelo site, basta responder a um questionário para comprovar que a pessoa entendeu o significado do projeto e realizar um treinamento de boas-vindas. Depois, é possível escolher um tema de interesse, participar de grupos próximos de sua localização, e até mesmo, criar sua própria campanha.

A cidade portuguesa de Cabeceiras de Basto também abriga um projeto interessante: o município é sede de uma ecovila vegetariana, criada com o objetivo de vivenciar e aproveitar as belezas naturais de maneira coletiva e sustentável. Atualmente, o projeto busca voluntários interessados em auxiliar na aldeia.

Defender as causas animais

Para os amantes da natureza e defensores dos animais, o resgate e a reabilitação de diversas espécies são o principal foco de alguns projetos voluntários internacionais, como a Domestic Animal Rescue e a Living with Big Cats. No site dessas instituições, você ainda pode escolher o período e o local em que deseja fazer o voluntariado, como Estados Unidos ou Reino Unido.

Muitos desses programas têm como objetivo a reinserção de animais na natureza e em seus habitats originais, além do cuidado com espécies que não podem retornar a sua vida selvagem. Além disso, as fundações presam pela preservação e recuperação do ambiente nativo dos animais.

Incentivar a prática de esportes

Que a prática de esportes é essencial para o desenvolvimento e crescimento saudável de crianças e adolescentes, todo mundo sabe. Por isso, essa área exerce uma posição especial no trabalho voluntário.

Entre as inúmeras ideias existentes no mundo todo, podemos destacar os projetos sociais Streetwise Soccer e Sports Development Project. Com grande atuação em regiões periféricas da África do Sul, os voluntários servem de inspiração e colaboram com o desenvolvimento físico e cognitivo do público atendido, além de promover sua confiança e autoestima.

Já a escola bilíngue School of Sakbé Kids, localizada na Cidade do México, procura pessoas interessadas em colaborar com ações importantes, como promover aulas de inglês, esportes e ioga e demais atividades que estimulem o aprendizado e interesse das crianças.

Como você pôde ver, há opções de trabalhos voluntários para todos os gostos e disponibilidades. Se você ainda está com dúvidas, procure o Centro de Voluntários da sua cidade, onde poderá obter informações ou até mesmo participar de cursos de capacitação, dependendo da vertente na qual deseje atuar.

O mais importante é não deixar que a correria do dia a dia sufoque a vontade de ajudar o próximo e, dessa forma, exercer nosso direito de cidadãos. Tanto para cobrar o poder público quanto fazer parte da solução — e não simplesmente na cômoda posição de “juízes virtuais”. 

Quando desenvolvemos a capacidade de sentir empatia pelas pessoas, percebemos o quanto o sentido da vida está relacionado a isso, e não somente a lucro e bens materiais. Afinal, mais importante que acumular patrimônios e riquezas, é contribuir com um mundo melhor para essas e as futuras gerações.

Com certeza, há muitas coisas interessantes a serem citadas, e, por isso, gostaríamos de saber a sua opinião. Deixe um seu comentário no post e compartilhe com a gente alguma experiência ou relato de trabalho voluntário. Seu exemplo pode influenciar muitas pessoas!